Venezuela: antes e agora

A Venezuela já foi um dos países economicamente mais prósperos da América Latina. Sua economia foi alimentada por fortes indústrias agrícolas e petrolíferas, e seu PIB foi próximo ao dos Estados Unidos. Hoje, a Venezuela é mais pobre do que era antes de seu boom econômico na década de 1920, sua infraestrutura está se deteriorando e sua economia vem encolhendo desde a virada do século. O custo para as vidas humanas tem sido devastador: desde 2014, mais de 3 milhões de venezuelanos fugiram das condições inóspitas do país. Dos que permanecem, 90% vivem na pobreza.

Por que as forças armadas da Venezuela preferem o caos a um golpe

Na Venezuela, uma grande parte do esquema de controle tem a ver com não controlar o crime, que é onde o dinheiro flui para os oficiais ativos que não possuem um cargo político. O que explica o que aconteceu com alguns funcionários como o Ministro da Justiça, Néstor Reverol, que está sob acusação nos tribunais dos EUA, entre outras coisas, “por usar sua posição de poder [na Organização Nacional Antidrogas] para facilitar organizações de narcotráfico, enquanto dificulta os esforços da polícia em frustrá-los.

Ficar ou largar

Maduro acaba de se reeleger em eleições claramente fraudadas. Houve antecipação das eleições e presos políticos com grande probabilidade de vitória não competiram, como Leopoldo López. O Grupo de Lima, formado por Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Guiana, Honduras, México, Panamá, Paraguai, Peru e Santa Lúcia não reconhecem as eleições. EUA preparam sanções pesadas. Hipoteticamente serão mais seis anos de Maduro, isso se ainda existir Venezuela até lá.