Como as falhas de Kant são virtudes mal aplicadas

Em resumo, as ligações que Rand via eram as seguintes. Em metafísica e epistemologia, Kant – de acordo com a interpretação randiana – nega que a mente humana possa conhecer a realidade; tudo que se pode conhecer é um mundo de aparências construído pelo aparato cognitivo. Em ética, Kant demanda que a felicidade seja sacrificada em nome do dever sempre que haja conflito entre os dois (o que, segundo ele, ocorre com frequência).

Utilitarismo e Libertarianismo

Aqui está o argumento de uma sentença para o libertarianismo utilitarista: em comparação com outras instituições, os mercados fazem o melhor trabalho de promover a felicidade social sem depender de pessoas que tentam promover a felicidade social. Os mercados resolvem dois grandes problemas do utilitarismo. Primeiro, a maioria das pessoas não deseja maximizar a felicidade social em oposição à sua própria felicidade e à felicidade de um círculo relativamente pequeno de familiares e amigos. Em segundo lugar, mesmo que as pessoas desejem maximizar a felicidade social, elas geralmente não sabem como.

Economia e seus pressupostos éticos

Quando eu dei o título de "Pressupostos Éticos da Economia", meu primeiro pensamento foi "a economia não tem pressupostos éticos". Mas depois pensei que isto poderia não ser a melhor maneira de ganhar pontos aqui. Então eu vou falar sobre alguns sentidos em que a economia pode ter implicações para a ética.

Dinheiro pode comprar felicidade

Nossa obsessão por bens materiais gerou desequilíbrios; viciados em trabalho (workaholics) reclamam da falta de tempo para desfrutar de seus bens. O próprio termo “sociedade de consumo” é uma descrição sarcástica, e não neutra, da vida moderna. O dinheiro – pelo menos em nível teórico – é continuamente atacado tanto pela esquerda, quanto pela direita.