O que deixa os ricos mais ricos e os pobres mais pobres?

A História de Taine mostra claramente que a classe média foi a que mais sofreu com a Revolução Francesa. A atenção sempre se volta para os nobres, que foram roubados e guilhotinados. Entretanto, quando nos debruçamos sobre a vida naquele período, vemos que, considerando a nação durante os anos de desordem revolucionária, as vítimas foram aqueles que tinham qualquer propriedade, do agricultor ou pequeno comerciante ao indivíduo rico. Os ricos compraram sua liberdade e os nobres foram substituídos por uma nova gangue de parasitas sociais enriquecidos pelo saque e a extorsão. Esses últimos chegam mais perto do tipo de “comitê” que se espera ter em uma sociedade socialista do que qualquer outra coisa na história.

As origens da limpeza étnica soviética

Como o terror contra classes se tornou o terror contra etnias.

A conexão entre George Orwell e Friedrich Hayek

Orwell, um homem da “esquerda”, não poderia permanecer calado frente aos horrores do estalinismo. Duas vezes – durante a Guerra Civil Espanhola e, novamente, no início da Guerra Fria – ele se recusou a permitir que seus companheiros permanecessem cegos para onde o seu coletivismo os tinha levado e para onde poderia levá-los novamente. Ele foi chamado de ferramenta consciente do fascismo, uma acusação severa considerando que tinha ido à Espanha lutar contra o fascismo. (No entanto, por alguns centímetros, a bala que penetrou no seu pescoço na Espanha poderia nos ter negado as advertências posteriores, a Revolta dos Bichos e 1984. Nós nunca teríamos conhecido o real dano causado pelos fascistas).

A brutal ascensão dos nazistas em Berlim

Na década de 20, Joseph Goebbels recebeu a difícil tarefa de construir apoio para o crescente Partido Nazista em Berlim, "a cidade mais vermelha da Europa depois de Moscou". Por volta de 1933, uma combinação de violência nas ruas e astúcia política conseguiu catapultar o partido à frente de seus rivais.

O mito do comunismo primitivo

Como os caçadores-coletores nômades têm dificuldade no armazenamento de capital físico, especialmente alimento, sua resposta ao redor do mundo, de cultura a cultura, é automaticamente transformá-lo em capital humano ao compartilhá-lo com amigos, parentes e vizinhos.